Roberto Bartolomei Parentoni é advogado criminalista, militante desde 1991

E-mail Imprimir PDF

 

Roberto Bartolomei Parentoni (12 de maio de 1964) é advogado criminalista, militante desde 1991, brasileiro, de descendência italiana, tem especialização em direito penal e processual penal pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Biografia Iniciou sua carreira no interior de São Paulo, na cidade de Itapira, para onde se mudou aos 11 anos, com seus pais e irmãos, vindos da Capital Paulista. Mudou-se para o Guarujá/SP em 1998, agora com família própria formada, com o objetivo de atuar nos Tribunais do Júri de São Paulo, Capital, e na área criminal em geral, para a qual volta-se a sua vocação. Em 2006, passa também a residir com sua família na Capital Paulista, onde permanece e atua até hoje.

Foi presidente eleito do Diretório Acadêmico Dr. Acrísio de Gama e Silva da Faculdade de Direito da UniPinhal; é fundador, junto com sua esposa, e presidente do IDECRIM – Instituto de Direito e Ensino Criminal – www.idecrim.com.br - , e professor de prática penal desta Instituição; membro fundador e presidente (gestão 2011/2014) do IBRADD – Instituto Brasileiro do Direito de Defesa – www.ibradd.org.br -, é autor dos livros jurídicos “Prática da Advocacia Criminal” (2007) e “Alterações no Processo Penal” (2008). Tem no prelo “A Defesa no Plenário do Júri” e “Exame da OAB – segunda fase, Penal”.

Tem diversos artigos jurídicos publicados na Web e jornais e escreve para vários sites na internet, entre eles para o “Atualidades do Direito”, do jurista Luiz Flávio Gomes. É autor de pareceres jurídicos junto a ONGs, pessoas físicas e jurídicas. Realiza palestras pelo Brasil, falando sobre a prática penal e Tribunal do Júri, para inúmeros advogados e advogadas, para a Defensoria Pública, entre outros. Atuou em mais de 200 júris em defesa dos direitos de seus clientes, muitos deles como advogado dativo para os acusados hipossuficientes. Seu primeiro Júri foi como advogado dativo, na cidade de Itapira/SP, num caso em que um filho havia matado o pai pelas costas, após apenas 06 meses de sua habilitação pela Ordem dos Advogados do Brasil, obtendo sucesso na tese de defesa apresentada. As defesas de maior repercussão são as de [Willians Herbas Camacho], mais conhecido como Marcola (Júri), de Guilherme Witicuk F. Carvalho, conhecido como Chuck (caso Parada Gay) e da testemunha do caso Marcos Kitano Matsunaga

A partir de 2006, passou a dedicar-se ao IDECRIM, que tem seu próprio programa de ajuda aos hipossuficientes, como seu presidente, e continuou a atender seus clientes no escritório “Parentoni Advocacia Criminal”, com uma tradição desde 1991 e que acredita que "na prática a teoria é outra". Atua na defesa do acusado, pessoa física ou jurídica, em todas as esferas, instâncias e tribunais do Brasil, em qualquer área do Direito Penal, de forma contenciosa (inquéritos, ações penais e atuação nos tribunais) e, ainda, na área consultiva, elaborando pareceres, destacando-se as seguintes áreas: Crimes contra a Pessoa - Tribunal do Júri; Crimes contra a Honra e Liberdade; Crimes contra o Patrimônio; Crimes contra os Costumes; Crimes Empresariais e Tributários; Crimes Falimentares e Societários; Crimes Ambientais; Crimes contra a Fé e a Administração Pública; Crimes contra as Relações de Consumo; Crimes Previdenciários; Crimes contra a Propriedade Imaterial; Crimes Eleitorais e Sustentação Oral nos Tribunais Superiores.

O IDECRIM – Instituto de Direito e Ensino Criminal foi fundado em agosto de 2006. É uma instituição privada que tem por finalidades fomentar o respeito incondicional à Constituição Federal; defender os direitos das minorias e dos marginalizados, que é devido a toda pessoa humana; defender e estimular o devido respeito aos direitos e à dignidade das vítimas de delito que são, ao lado da comunidade, os destinatários últimos do sistema penal; estimular o estudo do crime e da criminalidade, bem como a elaboração de artigos, teses e ensaios; promover a edição e divulgação de livros, teses, informativos, que abordem a matéria criminal; educar, informar e divulgar os direitos e deveres de todos os cidadãos perante a sociedade e perante si mesmo; promover a realização de cursos, seminários, palestras e debates, e promover projetos sociais e apoiar projetos já existentes.
Em 10 de dezembro de 2011, fundou, junto com um grupo de profissionais de várias áreas, o IBRADD – Instituto Brasileiro do Direito de Defesa – www.ibradd.org.br -, tornando-se seu primeiro presidente. O IBRADD tem por finalidades promover os princípios, a Constituição os conceitos e as regras legais e morais do direito de defesa, em sua acepção mais ampla; difundir aos seus associados e para toda a sociedade, a noção de que o direito de defesa constitui um direito de todos inerente à democracia e expressão indelével da dignidade da pessoa humana; intervir, quando necessário, em qualquer instituição privada, repartição publica municipal, estadual, federal, autarquia publica, fundação, Juízo, Instância ou Tribunal para a garantia da aplicação dos princípios que norteiam os objetivos da associação; combater a ideia de que, no Brasil, reina a impunidade ou o desrespeito à lei.

 

Pesquisa

Links

Newsletter

Receba nossos informativos: