As Cinco Leis do Ouro

E-mail Imprimir PDF
As cinco leis do Ouro mostram bem a característica do livro “O Homem Mais Rico da Babilônia” com suas lições simples, práticas e eficientes. O livro, obviamente, é rico em detalhes e oferece diversas outras lições como no capítulo “Sete soluções para a falta de dinheiro”; mas vale aqui mencionarmos as cinco leis do Ouro, que são a base da filosofia do livro: 
“I - O ouro vem de bom grado e numa quantidade crescente para todo homem que separa não menos de um décimo de seus ganhos, a fim de criar um fundo para seu futuro e o de sua família”. Ou seja, poupe 10% de tudo o que receber.
“II - O ouro trabalha diligente e satisfatoriamente para o homem prudente que, possuindo-o, encontra para ele (para o ouro) um emprego lucrativo, multiplicando-o como os flocos de algodão no campo”. Moral da história: use a riqueza para gerar riqueza.
“III - O ouro busca a proteção do proprietário cauteloso, que o investe de acordo com os conselhos de homens mais experimentados em seu manuseio”. Conclusão: siga conselhos de quem sabe, das pessoas experientes.
“IV - O ouro foge do homem que o emprega em negócios ou propósitos com que não está familiarizado ou que não contam com a aprovação daqueles que sabem poupá-lo”.  Não se esqueça: invista somente depois de estudar bem o assunto ou ouvir parecer de quem entende.
“V - O ouro escapa ao homem que o força a ganhos impossíveis ou que dá ouvidos aos conselhos enganosos de trapaceiros e fraudadores ou que confia em sua própria inexperiência e desejos românticos na hora de investi-lo”. Lembre-se: escolha metas realistas e parceiros honestos, pense antes de obedecer aos impulsos.

Um ponto sempre destacado pelas parábolas do “Homem Mais Rico da Babilônia” é a importância do trabalho. Os babilônicos afastam a possibilidade do enriquecimento fácil, através de investimentos milagrosos: “o trabalho bem feito traz satisfação a quem quer que o tenha realizado e o torna um homem melhor” .
Outro aspecto interessante é o conceito de colocar o aprendizado financeiro em prática. Uma das regras é não procrastinar. Os homens de ação acabam atraindo oportunidades, “os homens de ação são favorecidos pela boa sorte”.
Sobre o Autor
George Samuel Clason nasceu nos Estados Unidos em 1874. Cursou a Universidade do Nebraska e serviu o exército americano durante a guerra entre Estados Unidos e Espanha. Fez carreira no mercado editorial, sendo o responsável pela publicação do primeiro atlas rodoviário dos EUA.
Em 1926, lançou o primeiro de vários panfletos sobre economia e independência financeira, usando parábolas ambientadas na antiga Babilônia. Essas parábolas deram oriem ao livro “O Homem Mais Rico da Babilônia”, livro de grande sucesso tendo vendido milhões de exemplares.
 

Pesquisa

Links

 

 

Sites para advogados

Entre em contato para conhecer as soluções ideais de site, e-mail e hospedagem para seu escritório de advocacia:

 

adv@dcestudio.com.br

Newsletter

Receba nossos informativos: